terça-feira, 22 de junho de 2010

Atordoada ....

Cambaleio ao ouvir-te ...
Porta que se abre ... outra que se fecha ...
Naquele  momento , tudo esqueço e tudo perdoou...
Se pelo menos me ouvisses ...
Se pelo menos me visses ....
Escuto-te sem te ver ...
Fecho os olhos para tentar compreender ...
Para te tentar compreender e atender ...
O que escuto não entendo e o que entendo jamais escutarei ...
De repente , o filme passa de novo , e a repetição de imagens
atordoam-me ...
Quem te julgas ? E por quem te julgas ?
Melhor do que eu ? Em quÊ ?
Se me castigas com o silêncio , nada sabes de mim ...
Se me perguntasses pelo menos saberias as verdades ...
Devotas-me o silêncio infundado e sem côr ...
Enquanto que só deverias ver ... o Sol ...
Estoura-me o cêrebro , rebentam-me as órbitas ...
Porque não te esbofeteio ? Acorda !
Engole o orgulho feio e castrador ...
Nem seque me escutas ...
Tudo igual ....



3 comentários:

  1. Palavras fortes...
    ...sentimentos fortes também, com certeza!

    :)

    ResponderEliminar
  2. Gostei do seu blog. Intenso, boa escrita. Vou linkar você.
    Beijos
    Também é muito bem vindo a:
    http://con-vivenciasa2.blogspot.com/

    ResponderEliminar