segunda-feira, 4 de janeiro de 2010

Procura


Do desejo nasce o toque ,
e com o toque me prendes ...
Buscas o inaúdito e encontras o perdido ...
E assim me perco sempre que estás ...
E sabes que estás ... no toque que sentes ...
Das minhas mãos nuas ... sofridas e sôfregas ...
Hummmm ! No toque me enlaço em ti ...
Sempre que navego nas imagens , perdidas no tempo ...
Desejo perverso de ter-te ... nas noites ... sentidas ...
Noites ... frias ... lençois mornos do meu corpo ...
Que procuras agora , que me não sentes ?
Que me não tens ?
Será que sentes ?
Procura ... onde queiras ...
Onde desejes ... Onde...
Jamais buscas ...

4 comentários:

  1. Posso te procurar e sentir-te?

    ResponderEliminar
  2. DocePecado, a procura é uma atitude de sobrevivência...Beijos com tulipas. Carlos

    ResponderEliminar